segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Elton John no Rock in Rio: um genial estranho no ninho

CRÍTICA DE SHOW
● Elton John - Rock in Rio (29/09/11)




Elton John fez uma apresentação tecnicamente impecável na abertura do quarto Rock in Rio, na madrugada de sexta (23) para sábado (24). Em cerca de uma hora e meia, o cantor britânico tocou muitos de suas dezenas de hits, mostrou entrosamento perfeito com a banda e deu um show de virtuosismo ao piano, do qual só saiu para tímidas saudações ao público. Ao contrário de sua antecessora no Palco Mundo, Katy Perry – que fez várias trocas de roupa, vestiu-se com a bandeira do Brasil e interagiu bastante com a plateia – Sir Elton John preocupou-se “apenas” com o essencial: a música. E agradou quem estava lá por causa dela.

Algumas frases em português teriam sido bem-vindas, é verdade. Mas não faltou simpatia ao senhor britânico, que, aos 64 anos, mostrou-se em plena forma física e musical, embora a voz já não tenha a mesma potência de outrora, o que o obrigou a usar tons mais graves. Enquanto enfileirava seus sucessos – da abertura com Saturday night’s alright for fighting até o encerramento com Crocodile Rock, passando por Daniel, Rocket man, Don’t let the sun go down on me, Philadelphia freedom, I’m still standing, The bitch is back, Goodbye yellow brick road, Skyline pigeon, I guess that’s why they call it the blues e Bennie and the jets, entre outros hits – o cantor distribuiu muitos sorrisos, interagiu bastante com seus ótimos músicos e nem ligou quando um fã subiu ao palco para homenageá-lo. Não foi diferente em canções menos conhecidas, como a excelente Hey Ahab – gravada em seu mais recente álbum, The union (2010), feito em parceria com Leon Russell – na qual o coral feminino deu um show à parte.

O maior revés para Elton John – e para quem foi ao Rock in Rio só para assisti-lo – foi a (des)organização do evento, que parece não ter aprendido com os erros das edições anteriores. A lambança começou com a escolha dele para uma noite “teen”, em que o público, jovem em sua maioria, estava mais interessado em fazer festa do que em ouvir música. Seria mais inteligente tê-lo escalado para esta quinta (29), que tem atrações voltadas para o público adulto (não seria ótimo ver uma sequência com Elton John e Stevie Wonder?).

Outro equívoco foi colocar Elton John para tocar depois de Claudia Leitte e Katy Perry e antes de Rihana. Foi um banho de água fria tanto para a garotada quanto para os fãs do cantor, que deixou o palco sem tocar Your song, seu principal sucesso, guardado para um bis que não aconteceu, talvez por causa da apatia de boa parte do público.

No fim das contas, 90 minutos foi pouco. Ficou um gosto de quero mais, como tudo que é bom. Resta esperar que Elton John volte em breve, num show só dele, e toque mais de seus inesquecíveis clássicos, como Sad songs (uma das várias ausências sentidas no set list), para uma plateia que saiba reconhecer sua genialidade musical.

terça-feira, 6 de setembro de 2011

AXN promete episódio inédito de Law & Order – Criminal Intent mas passa reprise

Não há nada tão ruim que não possa piorar, não é mesmo? O AXN acredita piamente nessa máxima.

Ontem (05/09), não satisfeito em omitir as legendas – como já comentei em um post anterior – o canal exibiu o episódio errado de Law & Order – Criminal Intent. Enquanto a informação de tela da Net mostrava que, naquele horário (21h), estava previsto o início da 10º temporada, inédita no Brasil, o AXN mostrava uma reprise do 9º ano.

E o pior: a volta dos episódios inéditos, que marcam o retorno da dupla de investigadores Goren e Earnes (ausente da 9ª temporada), também fora prometida no site do AXN!

A pergunta que continua sem reposta é: até quando vai esse desrespeito ao telespectador?

Google faz belíssima homenagem a Freddie Mercury


Freddie Mercury, morto em 1991, teria completado 65 anos ontem (05/09). Maior cantor de rock de todos os tempos, ao lado de Elvis Presley, o vocalista do Queen recebeu uma belíssima homenagem do Google. Tudo é bom no clipe de animação criado pela gigante das buscas, a começar pela escolha da trilha sonora, a música Don't stop me now. Certamente, o melhor "Google Doodle" até hoje.

Como qualquer adjetivo é pouco para qualificar tanto a homenagem quanto o homenageado, fica o vídeo com a animação. E o desejo dos fãs brasileiros para que os remanescentes do Queen, liderados por Brian May – um dos maiores guitarristas de rock de todos os tempos – voltem ao Brasil, depois da passagem que tiveram por aqui em 2008, na época com os vocais de Paul Rodgers.